Servidão moderna 

Servidão moderna 

“A servidão moderna ou Escravidão Moderna é uma escravidão voluntária, consentida pela multidão de escravos que se arrastam pela face da terra. Eles mesmos compram as mercadorias que os escravizam cada vez mais. Eles mesmos procuram um trabalho cada vez mais alienante que lhes é dado, se demonstram estar suficientemente domados. Eles mesmos escolhem os mestres a quem deverão servir. Para que esta tragédia absurda possa ter lugar, foi necessário tirar desta classe a consciência de sua exploração e de sua alienação. Aí está a estranha modernidade da nossa época. Contrariamente aos escravos da antiguidade, aos servos da Idade média e aos operários das primeiras revoluções industriais, estamos hoje em dia frente a uma classe totalmente escravizada, só que não sabe, ou melhor, não quer saber. Eles ignoram o que deveria ser a única e legítima reação dos explorados. Aceitam sem discutir a vida lamentável que se planejou para eles. A renúncia e a resignação são a fonte de sua desgraça.”

 (Servidão moderna)

Anúncios
Heliocêntrico (Mão Morta -7 Gumes)

Heliocêntrico (Mão Morta -7 Gumes)

Fábulas

Imagens que agarro quando há uma suspensão do tempo cronológico e a percepção passa para uma realidade paralela. Fragmentos de existência onde uma peça de roupa ao vento consegue ser tão ou mais bela que uma bailarina clássica.

Com este Video queria agraciar a belíssima paranóia dos “Mão Morta”

– Ouviste o que disse o aquecedor?
– Como?
– Repara na luz. Repara como muda de intensidade… Está a dizer qualquer coisa!
– Mas isso é um aquecedor, não fala!!!
– Shut!… Não ouves o murmúrio?… Está a dizer qualquer coisa!
– Mas isso é o barulho da electricidade a passar…
– Shut!… Escuta!…
– Deixa-te de tretas. Vamos embora!
– Não posso.
– Não podes?!?…
– Tenho de ficar ao pé da luz. Está a querer dizer-me qualquer coisa! É importante!…
– Importante?!? Ainda acabas é na Casa Amarela a apanhar choques eléctricos…
– Pois eu acho que há aqui uma entidade qualquer, um ser de outra dimensão, uma energia cósmica, a tentar estabelecer contacto comigo… Repara no cintilar, nas pequeninas explosões de luz… Isto não é electricidade!
– Não!… Isso não é electricidade… São miolos a fritar!
– O quê?
– Disse que tens os miolos a fritar. Deve ser do calor…
– Por acaso estou cheio de frio!… Não queres ligar o aquecedor?
– Mas tens o aquecedor no máximo! Nem sei como não te queimas, aí tão perto…
– Shut!… Escuta!…
– Bom, vou-me embora! Depois conta-me o que te disse o ET…

Subscreva no Facebook: Fábulas  e Esquiziofrenia das Artes